Nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, a Fusan enviou aos trabalhadores um termo de opção de recomposição do saldo, para que cada um faça uma escolha de pagamento com a Fundação.
 
No dia 4 de fevereiro, o Sindaen protocolou um ofício junto à Fusan solicitando maiores informações, abertura para uma reunião junto aos sindicatos e cópia do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). Já se passou quase um mês desde o protocolo do ofício, e a Fusan ainda não se manifestou a respeito.
 
Nesta segunda-feira (22), o Sindaen cobrou via telefonema um encaminhamento da Fusan e obteve o retorno de que ela irá se manifestar até o dia 29 deste mês. Isso demonstra a falta de consideração da Fundação com os beneficiários.
 
Cada trabalhador é livre para tomar sua decisão, mas como não há comprovação do depósito na conta dos beneficiários, o Sindaen orienta que os trabalhadores não assinem o referido termo e que cada um solicite à Fusan o seu Histórico Analítico de Contribuição.
 
O sindicato seguirá buscando informações e construindo uma estratégia junto aos demais sindicatos parceiros com o objetivo de promover uma ação judicial futuramente, caso seja necessário.
 
Diretoria Sindaen