Sindicato dos Trabalhadores nas empresas de água, esgoto e saneamento de Maringá e região noroeste do Paraná

Plenária da Educação reúne estudantes, professores e cidadãos comuns

Organizada por entidades sindicais de Maringá e região, a Plenária da Educação reuniu estudantes, professores(as), pais, membros de organizações não governamentais e cidadãos comuns na noite dessa quinta-feira (29), na Câmara Municipal de Maringá.

Com a mediação da professora Vilma Garcia, o evento trouxe questionamentos que se desdobraram em diversas discussões sobre as consequências que o Novo Ensino Médio traz para a educação em geral, mas principalmente para os(as) estudantes.

A professora do Departamento de Teoria e Prática da Universidade Estadual de Maringá, Simone Jabur, explicou as dificuldades que a automação do trabalho tem causado na sociedade e a grande influência que os Estados Unidos têm na educação básica brasileira nos últimos anos. Segundo ela, houve uma redução significativa das disciplinas essenciais do Ensino Médio, que se reduz muito ao uso das plataformas oferecidas pelo Governo Estadual. “A educação pública virou uma vitrine para os aplicativos, grandes empresas de tecnologia e se tornou uma grande disputa orçamentária”, disse.

Representando a base de professores(as) da educação básica, o professor da Rede Estadual de Ensino, Fábio Cardoso, argumentou que um grande problema hoje está na formação oferecida pelo governo aos(às) educadores(as). “Atualmente a formação dos professores é tecnicista, ou seja, não está voltada ao trabalho pedagógico. Esta ‘plataformização’ cria uma sobrecarga absurda nos docentes”, desabafou. “É uma educação que não atende as necessidades dos filhos da classe trabalhadora. É baseada na triste educação que tivemos durante a Ditadura Militar”.

Com o lema “Por um Ensino Médio com a cara da escola pública”, a plenária deu voz a muitos pais presentes, que reclamaram da dificuldade dos filhos em assimilar novas disciplinas que não possuem muita direção ou embasamento. Uma deliberação da reunião foi de tornar essa discussão mais presentes entre os(as) estudantes e a comunidade, e organizar outros eventos para tonar este assunto mais difundido na sociedade.

Compartilhe esse conteúdo!

Nota de Repúdio

O SINDAEN, vem por meio desta nota, expressar repúdio às práticas antissindicais, antiéticas e contrárias aos princípios democráticos adotadas pela Sanepar, principalmente pelos membros da

Leia mais »

O SINDAEN foi fundado em 15 de dezembro de 1995, por decisão de uma assembléia da categoria, para ser o sindicato específico dos trabalhadores do setor de saneamento de Maringá e Região Noroeste do Paraná.

© Todos os direitos reservados a SINDAEN