Sindicato dos Trabalhadores nas empresas de água, esgoto e saneamento de Maringá e região noroeste do Paraná

Nota da FNU e CNU contra a privatização da Sanepar 

A Federação Nacional dos Urbanitários – FNU e a Confederação Nacional dos Urbanitários – CNU condenam a atitude do Governador do Estado do Paraná, Ratinho Júnior, de privatizar a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), um patrimônio do Povo paranaense, que presta um serviço de alta qualidade para a toda população.

A “entrega” da Sanepar ocorreu nesta sexta-feira (14/7/23), com o consórcio liderado pela Aegea arrematando o leilão.

Essa é mais uma ação predatória, típico de governos privatistas, que preferem ignorar que a água é um bem pertencente a todos, não podendo ser propriedade de grupos de especuladores, que trabalham somente na lógica do lucro.

Em recente matéria publicada pelo jornal Valor Econômico, a Sanepar se destaca entre as empresas com melhor desempenho nos critérios de avaliação definidos pelo governo federal. Pelo grau de endividamento, o retorno sobre o patrimônio líquido, a margem líquida e a suficiência de caixa. Os dados apontam para excelente saúde financeira da empresa e sua capacidade de investimentos, bem como o seu desempenho.

Diante de uma situação estável que garante a Sanepar boas condições para servir toda a população, em especial as mais pobres, quais são os motivos que levam um governo a vender uma empresa tão rentável?

Isso precisa ser respondido. Portanto, a chamada Parceria Público Privada, uma privatização disfarçada que envolve dinheiro público, via BNDES, que acontece justamente após o novo marco regulatório negociado entre governo e oposição, é de um casuísmo sem justificativa.

A população e os trabalhadores já sabem os resultados das privatizações das empresas: aumento exorbitante de tarifas, a exclusão das parcelas mais pobres dos consumidores e a demissão em massa de empregados com grande saber técnico, com a consequente queda dos serviços prestados a sociedade.

A FNU e a CNU estão na luta em todo país contra a privatização do saneamento, participando de articulações em todas as esferas do poder, seja na Câmara dos Deputados, no Senado, Assembleias Legislativas ou Câmaras Municipais. O entendimento é que o Brasil não pode retroceder, pois no mundo os exemplos mostram que a privatização da água é um erro gigantesco e, nesse sentido, vários países, inclusive, aqueles centrais do capitalismo, como Inglaterra, França e Alemanha estão reestatizando os serviços de saneamento.

A FNU e a CNU reafirmam sua solidariedade e soma à luta dos sindicatos de trabalhadores no Estado Paraná para o acesso ao saneamento a todos os cidadãos paranaenses, bem como para garantir todos os direitos dos trabalhadores da Sanepar.

Água não é mercadoria. A luta continua!  

Federação Nacional dos Urbanitários – FNU
Confederação Nacional dos Urbanitários – CNU

Compartilhe esse conteúdo!

Nota de Repúdio

O SINDAEN, vem por meio desta nota, expressar repúdio às práticas antissindicais, antiéticas e contrárias aos princípios democráticos adotadas pela Sanepar, principalmente pelos membros da

Leia mais »

O SINDAEN foi fundado em 15 de dezembro de 1995, por decisão de uma assembléia da categoria, para ser o sindicato específico dos trabalhadores do setor de saneamento de Maringá e Região Noroeste do Paraná.

© Todos os direitos reservados a SINDAEN